segunda-feira, 18 de junho de 2012

A psicose de hoje...

 
Estou aqui sentada  no sofá, enfrente á Tv, a olhar para ela, sem os verdadeiros olhos de ver alguma coisa, Gustavo dorme, marido entrou a 00.h e eu sentei-me aqui, apesar de ter ali uma montanha de roupa a chamar por mim, prefiro ignora-la, estou presa nos meus pensamentos, desde que fiquei sem emprego, há algo perturbador que me assola todos os dias, ai agora já não posso gastar € como fazia, agora já não posso fazer isto e aquilo, agora estou em casa, tenho que manter a casa limpa e arrumada, bem esta ultima tarefa,parece-me praticamente impossível, apesar de estar em casa, o tempo voa, e agora é que acho que não tenho mesmo tempo para nada!!!, não sou a dona de casa perfeita, não sou muito organizada quanto á gestão de tempo, nunca fui!, tenho o Gustavo comigo diariamente e ele absorve-me o tempo todo, acho que foi um grande erro que cometi também ao ficar em casa deixa-lo comigo, ficava até então na minha mãe, mas queria aproveitar para me dedicar a ele, uma vez que passei uma gravidez onde trabalhei até ao ultimo dia, onde na licença de maternidade era passada entre casa e escritório, pensei que iria aproveitar o tempo perdido para me dedicar inteiramente ao papel de mãe, mas acho que a coisa não está correr bem, o Gustavo está muito apegado a nós agora, e começo a pensar se o devo colocar ou não no Infantário em Setembro, temo pelas doenças é certo!, há quem defenda colocar aos os 3 anos de idade para o sistema imunitário estar mais fortalecido, mas temo que não conviva com outras crianças e se torne um miúdo mimado e menino da mamã, coisa que sempre condenei..., eu não tenho meio termo, o meu marido diz que nunca estou contente com o  que tenho, e se calhar é bem verdade, quando trabalhava como uma louca, não tinha tempo para nada, eu e o meu marido com horários incompatíveis, era complicado gerir tudo, e só mesmo as férias eram verdadeiramente nossas!, agora com o Gustavo tenho todo o tempo do mundo para me dedicar a eles e à  casa, mas não estou Feliz, não sei se é de estar habituada 12 anos no Activo, num stress e pressão diária, no ansiar pelas férias, pelos feriados, que agora não dou valor a nada,bem não sei, tenho um sentimento de profunda tristeza neste momento...

14 comentários:

  1. Oh Vecas...é normal sentires-te assim...tenho uma amiga que só ao fim de um ano se habituou a estar em casa...ela optou por colocar o miúdo no infantário...mas ía levá-lo cerca das 11h e ía buscá-lo perto das 15h...era o que ela dizia...aquelas horas permitia-lhe gerir a casa e as coisas dela e se ele ficava doente como ela estava por casa não havia problema! Eu também digo muitas vezes que quero ficar em casa mas sei que a dada altura ía precisar de me ocupar com alguma coisa (aqueles 5 meses de licença foram devastadores para mim...o que me valeu foi que aos 3 meses de licença comecei a trabalhar na minha acumulação e a minha mãe ficava com ele...)...vais ver que tudo se resolve pelo melhor...mas está atenta aos teus sinais...não te deixes ir abaixo...bjoca*

    ResponderEliminar
  2. Compreendo-te perfeitamente, já passeio pelo mesmo e volta e meia lá vem um estadod e alma menos animador mas tal pode ser vivido no reverso da medalha quando estamos a trabalhar fora de casa desenfreadamente e sem tempo para os nossos, quando nos bate a culpa de ter muito trabalho e não ter tempo para a familia/casa.Não é facil ser dona de casa e mãe a tempo inteiro, podia enumerar um sem fim de situações que são muito frequentes acontecer mas tu deves sabê-las de cór tão bem quanto eu (roupa p passar incluida)... Não acho que tenhas feito uma má opção de ficares com o Gustavo e não é isso que o vai tornar mimado, mimado é estragar de mimos, premiar a toda a hora até mesmo quando merecia uma reprovação, isso sim é mimar. Ele ainda é pequenino e ainda está na altura de estar com os mais próximos deles, investindo em saídas, ver outras pessoas, cruzar-se com outras crianças não é de facto insuficiente para ele. Anda vai ter tanto tempo na vida para fazer amigos e vai ser mais tarde que irá guardar cada amigo na sua memória e isso com a idade dele é bastante dificil. As crianças são seres mágicos e com uma capacidade de fazer amigos fora de série, apenas terás de lhe passar bons ensinamentos e proporcionar-lhe o que a vida lhe deu de melhor, uma familia e uma mãe como tu. Agora é que o teu papel de mãe é mais importante, mais tarde quando ele já for crescido irás lamentar o facto de ele já não querer a tua atenção a tempo inteiro.
    A tristeza faz parte da nossa insatisfação como humanos e apenas serve para nos fazer procurar uma forma de encontrar a felicidade.
    Um beijinho sincero ;o)

    ResponderEliminar
  3. Estou como tu sabes? tem dias que parece que vou dar em louca. A Sofia já está na pré e ainda bem, é o melhor para ela, brinca que se farta, aprende coisas novas todos os dias, adora a professora as auxiliares os amiguinhos. Tenho pena de não ter dinheiro para meter o Tito num infantário, ia-me fazer bem ter algum tempo livre para poder limpar, arrumar, tratar de mim, como estou sempre com ele está sempre tudo de pantanas lol já nem ligo lol está limpa mas desarrumado!
    A Sofia entrou para o infantário com 2 anos 2 meio e nunca me ficou doente, tirando as constipações normais ( sem febres) nada de grave.
    Faz-lhes bem a eles estarem lá e nós cá! todos precisamos do nosso espaço :)
    Beijinhos

    Ps.: se fossemos de perto íamos dar uma volta as duas :)

    ResponderEliminar
  4. Imagino como te deves sentir! Eu, por ora, tenho a sorte de estar no activo, mas mesmo que não estivesse, e se tivesse possibilidade, punha as minhas filhas num infatário. Falo porque já tive a experiência de ter uma filha que ficava em casa com a empregada que eu tinha a tempo inteiro (tempo das vacas gordas) e que não se desenvolveu adequadamente. Aos 18 meses, numa consulta de desenvolvimento, impuseram-me que aq pusesse imediatamente na escola! Pessoalmente, prefiro otites, amigdalites e outras ites, ao susto que apanhei. Além de que, mesmo que estivesse em casa, como não tenho espírito de dona de casa perfeita, acho que ficava louca ter de viver a 100% para a casa e para cuidar das meninas (no meu caso)! E não me sinto nem menos mulher, nem menos mãe coruja, por isso!

    ResponderEliminar
  5. Para quem está habituada a estar tantos anos no activo e depois pára ,vai ressentir um filho dá sempre trabalho requere muita atenção ainda para mais assim ainda com 1 aninho uma casa tem sempre o que fazer ,passei meio ano em casa 2 meses antes de ter a minha menina e os 4 de licença confesso ter voltado ao trabalho foi um alívio enorme parecia que tinha obrigação de ter a casa sempre impecavel tudo muito direito e nada a deixar por fazer porque estava em casa começava a ser uma pressão enorme que até eu própia exigia de mim,eu já não tinha aquela freima de levantar vestir para trabalhar ter horario a cumprir, a hora de almoço ser só para mim e senti muita falta,precisas um pouco de tempo de espaço para ti e não és a super mulher para conseguir ter sempre tudo arrumado ainda para mais com um bebé sinceramente quem tem a possiblidade de colocar só aos 3 anos é melhor não penses que ele vai ficar menino da mamã porque isso vai ser sempre :) mas se poderes deixar de vez em quenado na tua mãe é optimo para estares contigo própia,também é complicado estar em casa o dia todo ainda para mais quando se ficou desmpregada não te preocupes que eu acho que os homens são assim para o meu também nunca estou satisfeita :)
    bjinhos
    bjinhos

    ResponderEliminar
  6. Obrigada a todas, as vossas palavras significam muito.beijos

    ResponderEliminar
  7. Eu sou a favor do infantário e podes colocar a meio tempo e assim desfrutas mais dele e acabas por ter algum tempo para ti, faz bem aos dois.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Como te compreendo.
    Eu só não ponho o meu mini-mini porque fica mesmo muito caro.
    Comecei agora a sair/trabalhar depois de 5 anos em casa com a ficha dupla.
    A sensação de impotência e gigantesca, pelo menos para mim.
    Vais ver que isso ameniza. Beijocas e não tenhas medo de po-lo no infantário.
    Ate e bom....

    ResponderEliminar
  9. Entendo-te perfeitamente.Estive 1 ano em casa com a pipoca,por opção,e ia dando em louca.Andava meio depressiva,até.A maioria das pessoas não entende..."ai,que bom e tal 1 aninho em casa...".Foi bom,para a minha pipoca e é nisso,que me agarro.Mas para mim,foi esgotante.Estava mesmo a precisar de ir trabalhar.Agora,quando chego a casa,é uma alegria,apesar da canseira física.Em relação ao infantário,acho que deves esperar pelos 3 anos.Tenho uma amiga Psicóloga,que diz,que ou é até aos 6 meses ou então é esperar pelos 3 anos.Agora com 1/2 anos,é a pior fase.E se fosse a ti,perguntava à tua mãe se não pode ficar com ele,as manhãs ou as tardes.Vais ver que te fazia bem.Umas horinhas por semana,para ti,não te fazia nada mal.Mulheres,que estão habituadas a ser independentes,é difícil,verem-se assim como estás agora...em casa,com tudo por fazer,mas sem vontade de o fazer e muitas das vezes sem o fazer mesmo!Compreendo,porque estive assim um tempo.Há-de melhorar!!Bjs Obrigada pelos bikinis;)

    ResponderEliminar
  10. Minha querida, entendo perfeitamente a forma cm te sentes, estou na mesma situação,por vezes o estar em casa faz-nos ir "mesmo abaixo"...e tomar conta de um filho 24h por dia, tal cm eu tb o faço, não é nenhuma pêra doce, é muito cansativo p nós, e nem aproveitamos tão saudavelmente o tempo com eles... Mas aproveita o Verão, sai com o teu filhote, vai a um parque, convida uma amiga p lanchar, tenta rodear-te de gente que te faça sorrir... Qt ao infantário, eu se fosse a Vecas optaria em ficar com o filhote em casa, não sei que idade tem, mas eu com o meu filho, só o inscrevi no infantário aos dois anos, idade que ele tinha qd comecei a trabalhar e, com a mnh filhota agora c 8meses vou tentar fazer o mesmo...mil beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Querida Vecas, eu também estou a tempo inteiro com a G. Tenho andado com a cabeça em água a decidir se fico mais um ano ou não com ela, gostava de a colocar no infantário aos 2 anos. A G. contraria a teoria que em casa se tornam mimados e agarrados aos pais... ela tem estado sempre comigo, tirando um dia e meio q fiz um favor à minha patroa e fui trabalhar e ela ficou com a minha mãe, e é a criança mais sociavel e risonha para estranhos que eu conheço. Adora crianças, enquanto outros que andam em infantário viram a cara, ficam sérios ou algo do genéro a minha porquita vai logo dar as mãos, beijinhos, ri, faz adeus,etc... até já conversei com a boss a respeito, pois para além de patroa é uma pessoa espetacular e muito humana... agora, estou mais calma, mais tranquila a respeito, e mais inclinada a ficar. Porque tb sinto a responsabilidade de dar conta de tudo, filha, casa, etc... mas há uns dias li um post de uma americana que dizia que temos o que precisamos no momento, e a nossa casa está como precisamos dela. Ora, antes da G. eu era desorganizada e nada perfeita com a casa... coisa que me aborrecia mas não conseguia mudar... após ela nascer achei que jamais ia ter tempo para fazer fosse o que fosse, pois eu era sugada por ela, agora, um ano depois, começo a encontrar um equilibrio. A casa não está perfeita, mas está apresentável, deito-me tarde e cansada, acordo com vontade de ficar na cama só mais um bocadinho, mas assim que chego ao outro quarto e vejo o sorriso matinal da pipoca, sei que vale a pena... daqui a nada ela estará maiorzita, mais independente, não precisará tanto de mim, e eu terei a certeza que estive a 100% mesmo para ela quando mais precisou! beijinho linda e lembra-te que tds temos dias mais dificeis.
    p.s. desculpa o testamento.

    ResponderEliminar
  12. Obrigada a todas a sério pelo vosso testemunho e palavras , beijonho

    ResponderEliminar
  13. Eu não te posso ajudar nesse sentido... mas na minha opinião podias mesmo tentar colocar o Gustavo num infantário a meio tempo e assim sempre descansavas um pouco. Ser mãe a tempo inteiro é desgastante sem dúvida...
    Eu estou sempre a dizer que se pudesse ficava em casa com a minha filha, mas obviamente não sei bem a realidade do que é ser mãe a tempo inteiro... Mas que é uma vontade minha isso é...
    A minha por enquanto está com os avós, mas eles já não têm muita paciência para cuidar dela... e por isso em Setembro gostava que fosse para um infantário...
    Não me alargando, espero mesmo que encontres uma solução que seja boa para ti e para o Gustavo, pois ele precisa de ti a 100%... um grande beijo e força querida ok?**

    ResponderEliminar
  14. A Mafalda esteve e continua a estar comigo. Mas agora muito mais... dantes ainda tinha os meus pais ou a minha irmão que de vez em quando ficavam com ela, ou a família que ía visitar com frequência... agora não tenho ninguém... chego ao fim do dia esgotada e com vontade de mandar tudo pró espaço... Sei que lhe faz bem estar comigo... mas e eu?? Não me faria bem estar com outras pessoas??
    se tens a tua mãe perto deixa-o lá ficar algumas vezes e sai para namorar, vais ver que te vai fazer muito melhor!!!!

    Um beijo muito grande e cheio de saudades

    ResponderEliminar

Selos

Selos